ASSOCIAÇÃO CONDOMINIAL

11 de janeiro de 2015

O superior Tribunal de Justiça decretou a ilegalidade de uma associação de proprietários de apartamentos, que pretendia assumir as atribuições de um condomínio edilício. Para o STJ, não é compatível com o ordenamento jurídico nacional a coexistência de condomínio, regularmente instituído, com uma associação criada por moradores de um dos quatro blocos que o integram.

HORA CERTA DE INVESTIR

11 de janeiro de 2015

O investidor americano Sam Zell, um dos maiores especialistas mundiais em compra e venda de imóveis – que até 2012 foi sócio da construtora brasileira Gafisa -, diz que essa é a hora certa de novos investimentos no País. Para ele, as boas oportunidades imobiliárias aparecem justamente nos momentos em que o mercado está menos comprador.

PADRÃO DE MEDIÇÃO MUNDIAL

11 de janeiro de 2015

Visando harmonizar a forma de se medir no mercado imobiliário, 55 entidades de todo o mundo – incluindo o Secovi/SP – lançaram o “International Property Measurement Standard” para imóveis comerciais. O objetivo é criar um método único, padronizado e uniforme de medição dessas propriedades, visando garantir o uso de uma metodologia única e coerente em todos os países.

PAISAGISMO VALORIZADO

11 de janeiro de 2015

Site internacional voltado para o marketing imobiliário, chamado “Home Gain”, divulgou um levantamento demonstrando que um pequeno investimento em paisagismo, da ordem de 400,00 a 500,00 dólares, pode trazer um retorno até quatro vezes maior na hora da venda do imóvel. Flores, folhas, vasos, jardins valorizam qualquer moradia, causando sempre uma boa primeira impressão.

CELEBRIDADES FAVELADAS

11 de janeiro de 2015

O Rio de Janeiro também está se notabilizando pelo número de celebridades internacionais que compram casas em favelas. Depois do pop star David Beckham e do rapper americano Kanye West, chegou a vez da cantora Madonna adquirir um imóvel no Morro do Vidigal (próximo do Leblon, na zona sul da cidade), onde o metro quadrado já ultrapassou os R$ 6.800,00.

MAIS CAROS & MAIS BARATOS

11 de janeiro de 2015

Em 2014, mais uma vez o Rio de Janeiro levou o título da cidade mais cara do País em termos imobiliários, com um preço médio de R$ 10.893,00 o metro quadrado, conforme o FipeZap. A capital paulista vem em segundo lugar, com R$ 8.351,00 e Brasília em terceiro, com R$ 8.143,00. Contagem (MG), com R$ 4.056,00 e Goiânia (GO), com R$ 3.386,00, foram as cidades mais baratas. O preço médio de todas as cidades pesquisadas ficou em R$ 7.537,00/m².

ATENÇÃO AOS DETALHES

4 de janeiro de 2015

É regra geral: quem se preocupa com os detalhes, torna mais rápida e com melhor preço a venda do seu imóvel usado. Moradias desarrumadas ou sujas, com mobiliário atravancando as passagens, problemas estruturais aparentes, ostentando símbolos político-partidários, religiosos ou futebolísticos, e com horários de visitação apertados, correm o sério risco de encalhar.

LOCAÇÃO EM CONDOMÍNIOS

4 de janeiro de 2015

Não é do conhecimento de todos, mas de acordo com a Instrução Normativa SRF nº 15, de 02/02/01 e com o Ato Declaratório Interpretativo SRF nº 2, de 27/03/07, as receitas condominiais provenientes da locação a terceiros de espaços comuns nos edifícios, devem ser tributadas em nome de todos os condôminos, já que os condomínios não possuem personalidade jurídica – mesmo os inscritos no CNPJ.

DOIS PRAZOS DE 3 ANOS NO FGTS

4 de janeiro de 2015

Dentre as exigências formuladas pela administração do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, para a liberação do FGTS na compra de imóveis, existem duas que, mesmo tendo igual prazo, não devem ser confundidas. Assim é que o interessado deve ter pelo menos 36 meses de contribuição, consecutivos ou não, e o imóvel não pode ter sido objeto de utilização de recursos do Fundo em aquisição anterior, há menos de 36 meses.

FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS

4 de janeiro de 2015

O Governo Federal estuda liberar os empréstimos imobiliários para as pessoas jurídicas, como uma forma de reaquecer o mercado. Na atualidade, os agentes financeiros não oferecem linha de crédito para as pessoas jurídicas adquirirem imóveis destinados às suas atividades. O objetivo é fazer com que a prestação do mútuo seja semelhante ao valor de um aluguel, para incentivar os negócios.