Notas do Mercado Imobiliário

  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    COMPRADOR DEVE TER RECURSOS EXTRAS PARA AS DESPESAS

    25 de setembro de 2016

    Quem vai comprar imóvel, precisa se lembrar que afora o preço a pagar, terá que possuir recursos para suportar as despesas naturais da transação: imposto de transmissão, escritura e registro imobiliário - itens que consomem algo como 5% do valor do negócio. Se houver necessidade de financiamento habitacional, será necessário acrescentar mais o custo da avaliação e as taxas bancárias.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    CUIDADOS NA AQUISIÇÃO DE UM IMÓVEL ALUGADO

    25 de setembro de 2016

    A compra de um imóvel alugado é possível desde que o vendedor tenha dado preferência ao locatário e este haja recusado a oferta. Mas, apesar disso, o adquirente ainda deve estar ciente da possibilidade de ter que mover uma ação de despejo, caso o locatário não desocupe o imóvel voluntariamente, nas condições e no prazo (90 dias) previstos no artigo 8º da Lei do Inquilinato.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    CONDOMÍNIOS PRECISAM CONSTITUIR FUNDO DE RESERVA

    25 de setembro de 2016

    A convenção condominial deve prever a formação de um fundo de reserva, cujo objetivo é garantir a continuidade e o bom funcionamento do condomínio no caso do surgimento de despesas extraordinárias, que não foram previstas no orçamento. Normalmente, esse fundo é formado pelas contribuições dos condôminos, correspondentes a 10% das despesas ordinárias mensais.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    OPINIÕES QUE CONTAM NA HORA DE NEGOCIAR

    25 de setembro de 2016

    Levantamento realizado traz ótimas orientações para quem trabalha com materiais de construção: 1) As mulheres são decisivas nas compras; 2) O pedreiro faz-tudo exerce grande influência na decisão de compra e escolha das marcas dos produtos; 3) A opinião do lojista influencia na venda de marcas de materiais básicos.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    TECNOLOGIAS TRANSFORMAM O MERCADO IMOBILIÁRIO

    25 de setembro de 2016

    A integração da chamada “internet das coisas” com o setor imobiliário já pode ser considerada um mercado, embora ainda bastante incipiente. A internet das coisas se refere a uma revolução tecnológica que está conectando digitalmente itens muito utilizados num imóvel, como televisão, ar condicionado, geladeira, máquina de lavar etc. e oferece um grande potencial para incorporadoras que inserem automação residencial em seus projetos.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    PROJETO ALTERA QUÓRUM PARA MUDANÇA DE FACHADA

    25 de setembro de 2016

    Projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados (PL 5645/16) estipula que a fachada de um condomínio edilício poderá ser alterada com a aprovação de três quartos dos condôminos. A proposta altera a lei atual, que só permite tal mudança com a aprovação da unanimidade dos condôminos – quórum que, na maioria absoluta das vezes, acaba por impossibilitar qualquer alteração.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    STJ RECONHECE MULTIPROPRIEDADE COMO DIREITO REAL

    25 de setembro de 2016

    O Superior Tribunal de Justiça decidiu que a multipropriedade imobiliária tem natureza jurídica de direito real e, no caso de penhora do imóvel objeto de compartilhamento (time-sharing), o coproprietário pode se valer de embargos de terceiro para proteger sua fração ideal. Com esse entendimento, o STJ alterou decisão do TJSP, que havia admitido a penhora de uma casa num condomínio.
  • FacebookTwitterLinkedInGoogle+PinterestGoogle Bookmarks
    SUPERAMOS OS CHINESES NA COMPRA DE CASAS EM PORTUGAL

    25 de setembro de 2016

    Apesar da crise econômica, os brasileiros superaram os chineses no ranking como terceira nacionalidade que mais comprou imóveis em Portugal, ficando atrás apenas dos franceses e dos ingleses. Neste segundo trimestre, 10% das vendas de imóveis no país europeu foram feitas para brasileiros, com uma idade média de 50 anos e classe A/B, de acordo com o estudo.