Arquivo da tag: investidores

Notas do Mercado Imobiliário – 8 a 14 de setembro de 2014

8 de setembro de 2014
  • OPINIÃO DE INVESTIDORES Segundo a Pesquisa Global da Opinião dos Investidores / 2014, realizada pela Franklin Templeton, nada menos que 23% dos investidores brasileiros creem que o mercado imobiliário é a melhor opção de investimento para os próximos 10 anos. Em 2º lugar, com 15%, surge a aplicação em bolsa de valores. Em 3º lugar, estão as commodities não-metálicas e os depósitos de renda fixa, cada um com 12% das respostas.
  • MERCADO SEGUE FORTE A opinião dos investidores pode estar respaldada no ritmo de crescimento do mercado imobiliário – quase sete vezes maior do que o do PIB – e no fato do crédito imobiliário contar com forte apoio estatal. E não se trata de algo de momento. No futuro, por conta do alto déficit habitacional no País (cerca de 7 milhões de moradias), o ramo dos imóveis deverá continuar liderando.
  • AMERICANA NO BRASIL A incorporadora norte-americana Related está chegando ao País com uma ambição: tornar-se uma das maiores empresas do ramo, em apenas três anos. Prevendo investimentos na ordem de um bilhão de dólares no próximo triênio, a Related terá como foco o Nordeste brasileiro. Outras companhias americanas e também europeias estão de olho no nosso mercado.
  • OS MELHORES GAÚCHOS O CRECI-RS, em parceria com o Pense Imóveis, premiou as imobiliárias e os corretores que se mais destacaram no mercado imobiliário gaúcho no ano de 2013. O 1º Prêmio CRECI-RS foi entregue no final de agosto às imobiliárias Master Imóveis, Ducati, One Imóveis de Luxo e Nilo Imóveis, e aos corretores Laerson Kunzler, Rozely Athayde, Cristine Vieiro e Luiz Cesar da Silva.
  • VALORIZAÇÃO SUPERA INFLAÇÃO De acordo com o índice FipeZap Ampliado, o valor de mercado dos imóveis residenciais teve uma alta média de 3,49% nas dezesseis cidades brasileiras pesquisadas. Nos últimos doze meses, o aumento acumulado é de 10,90%. O índice é calculado pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica em parceria com o portal Zap Imóveis, e está baseado nas ofertas publicadas.
  • REGISTROS ON LINE A mesma lei que criou o Programa Minha Casa, Minha Vida (11.977/09), também determinou que até julho de 2014 todos os ofícios imobiliários deveriam estar disponíveis na internet. O sistema permitiria, entre outras coisas, o registro eletrônico, a solicitação de certidões e a visualização das matrículas dos imóveis, facilitando a vida dos brasileiros. Ainda está no papel.
  • A META É R$ 140 BI A Caixa Econômica Federal, que detém mais de 2/3 do mercado de crédito imobiliário, prevê um crescimento mensal de R$ 12,5 bilhões até o final do ano. A meta da CEF é encerrar 2014 com R$ 140 bilhões em operações de mútuo habitacional. Atualmente, esse mercado já representa cerca de 9% do Produto Interno Bruto (PIB) – um aumento de 400% em relação ao início do século.
  • CRÉDITO EM ALTA A ABECIP divulgou que o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis no País somou R$ 10,4 bilhões em julho – uma elevação de 4,3% em relação ao mesmo mês do ano passado e de 14,1% na comparação com junho de 2014. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, foram financiados R$ 63,6 bilhões, um resultado 6,7% superior ao de igual período de 2013. Os números consideram apenas os recursos originados no SBPE.
  • RICO TAMBÉM QUER A busca de crédito por parte de pessoas de alta renda também tem aumentado nos últimos tempos. Levantamento feito por uma grande imobiliária paulista, registrou que entre 2009 e 2013 houve um aumento de 686% na quantidade de financiamentos de imóveis acima de R$ 1 milhão. Considerando os valores totais negociados, o crescimento foi de 1.362% no mesmo período.

 

Notas do Mercado Imobiliário – 5 a 11 de maio de 2014

4 de Maio de 2014
  • IMPOSTO SOBRE GANHOS Mesmo ultrapassada a época das declarações ao Imposto de Renda, não dá para esquecer que o ganho de capital apurado com a venda de imóvel adquirido a partir de 1969 é tributado em 15%, e que o imposto devido deve ser recolhido até o mês seguinte em que a transação se realizou. Se o imóvel foi adquirido entre 1969 e 1988, calcula-se um desconto de 5% por ano.
  • CASOS DE ISENÇÃO Estão isentos do imposto de renda incidente sobre o ganho de capital aqueles que negociarem seu único bem residencial, de valor não superior a R$ 400 mil. Também ficam isentos os que aplicarem o valor da venda de um imóvel residencial na compra de outra residência, dentro do prazo de 180 dias. Em ambos os casos, o contribuinte não pode ter realizado operação semelhante nos últimos cinco anos.
  • DESPEJO POR INADIMPLÊNCIA A falta de pagamento dos aluguéis e de encargos de uma locação (condomínio, taxas, impostos etc.), é considerada infração contratual grave, sujeitando o inquilino a uma ação de despejo. Porém, mesmo acionado em juízo, o locatário ainda pode evitar seu desalojamento, desde que, no prazo legal para contestar a ação (15 dias), deposite a totalidade do seu débito, com os encargos legais e contratuais, mais custas processuais e honorários do advogado do locador.
  • PORTABILIDADE Passam a ver esta semana as novas regras que regulam a portabilidade dos financiamentos imobiliários – que só valem para imóveis prontos. Apesar dos bancos poderem diminuir seus ganhos para atrair mutuários de outras instituições financeiras, não será possível aumentar o prazo do empréstimo, nem alterar o sistema de amortização. Além disso, a operação tem altos custos.
  • MATERIAL DE CONSTRUÇÃO De acordo com a Abramat, associação que representa as empresas de material de construção no País, no mês de março as vendas caíram 3,90% em comparação com o mesmo mês de 2013; ainda assim, no primeiro trimestre os negócios foram 0,90% superiores a igual período do ano passado. A Abramat também calcula uma alta de 4,50% para o setor em 2014.
  • RESCISÃO DE LOCAÇÃO Nas locações residenciais, contratadas por tempo inferior a 30 meses, ao final do prazo estabelecido o locador somente poderá rescindi-la sem motivação, ou seja, sem necessitar justificar o destino que dará ao imóvel, se a vigência ininterrupta da locação ultrapassar cinco anos. É a chamada denúncia vazia, que obriga o locatário a desocupar o imóvel em apenas um mês.
  • CONSELHO A INVESTIDORES Dizem os experts no assunto que, quanto mais outdoors, panfletos, anúncios em jornais e publicidade na TV, pior tende a ser o investimento imobiliário. Segundo eles, os melhores empreendimentos não precisariam de grandes esforços de venda para convencer os investidores de que se trata de um bom negócio. Lembrete: a conversa é sobre investimentos, não sobre casa própria.
  • PREDOMINAM OS SOLTEIROS Pesquisa realizada pela Lopes chegou a uma conclusão até certo ponto surpreendente: homens solteiros, entre 36 e 43 anos de idade, são os principais compradores de imóveis. Na sequência, aparecem casais e mulheres. A predominância masculina é maior em Florianópolis (87%) e menor no Distrito Federal (58%). As profissões predominantes são empresário e engenheiro.
  • SALÃO DE FESTAS Uma das discussões mais comuns entre condôminos, em edifícios novos, envolve a decoração e a mobília do salão de festas (que no mais das vezes não é entregue pronto para uso pelas construtoras). Na falta de consenso, é sempre aconselhável a saída através do voto, em assembleia legalmente convocada. Nessas situações, a lei manda prevalecer a vontade da maioria.

Notas do Mercado Imobiliário – 17 a 23 de fevereiro de 2014

15 de Fevereiro de 2014
  • MAIORES CONSTRUTORAS De acordo com o Ranking ITC 2013, a MRV foi a maior construtora do País no ano passado, com 401 obras e quase 7,5.milhões de metros quadrados construídos. Em segundo lugar, ficou a Cyrela, em terceiro a Direcional Engenharia, em quarto a Gafisa e em quinto a Brookfield. A MRV também liderou na categoria residencial baixa renda.
  • MAIS LANÇAMENTOS Os lançamentos de prédios residenciais na capital paulistana aumentaram mais de 16% no ano passado (33.198 economias), comparativamente com 2012 (28.517 unidades). Conforme o Secovi-SP, apesar do expressivo crescimento (92,9%) do número de lançamentos com apartamentos de um dormitório, os de dois dormitórios continuaram liderando com cerca de 40%.
  • VENDA DE IMÓVEL LOCADO Na hipótese de um imóvel ser vendido durante a locação, o novo proprietário pode rescindir o contrato, concedendo o prazo de 90 dias para sua desocupação, contados do registro da transferência. Contudo, se o contrato estiver vigorando por prazo determinado, contiver cláusula de vigência em caso de alienação e estiver averbado junto à matrícula do imóvel, o adquirente será obrigado a respeitar a locação até o seu término.
  • ELAS DECIDEM Cada vez mais é o sexo feminino que detém a palavra final na hora de comprar a casa própria. A mulher é hoje, em aproximadamente dois terços dos casos, quem influencia diretamente na decisão de compra, pois é ela quem mais conhece as necessidades da família. Os itens que mais pesam na balança são praticidade, conforto e segurança.
  • OLHO NOS PORTAIS A procura por imóveis na internet é uma tendência mundial, com destaque para os portais imobiliários – já que, cada vez mais, os consumidores querem encontrar o que procuram num só lugar, sem perder tempo navegando por muitos sites. Segundo os marqueteiros, os anúncios de imóveis para venda e locação em portais imobiliários, multiplicam sua exposição.
  • MINORIA QUE MANDA As estatísticas mostram que cerca de 70% dos condôminos não comparecem às assembleias gerais convocadas pelos síndicos, sendo a única exceção as reuniões onde se discutem questões relacionadas com garagens. Recorde-se que se a convenção ou a lei não exigirem algum quórum qualificado, as decisões das assembleias, ainda que tomadas por poucos, obrigam a todos.
  • INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO Investidores podem ter um excelente retorno de capital com aplicações no mercado imobiliário, ou garantir uma fonte de renda segura. Entretanto, no momento de escolher o que adquirir, é importante estar atento a quatro fatores: o ponto, a planta, o padrão (de acabamento) e o preço. A aliança desses quatro “P”, é garantia de um ótimo negócio.
  • RETROFITANDO IMÓVEIS Uma operação que vem caindo no gosto dos investidores é comprar imóveis degradados para recuperá-los. Essa técnica, conhecida como retrofit, é ainda pouco usada no Brasil, mas gera excelentes resultados. “Retrofitar” um imóvel bem localizado ou com bom potencial, está sendo considerado um dos grandes negócios imobiliários do momento.
  • LEILÃO É OPÇÃO Outra boa opção para os investidores imobiliários são os chamados leilões extrajudiciais, realizados por instituições financeiras, envolvendo imóveis retomados de mutuários inadimplentes. O procedimento de venda é semelhante ao do leilão judicial, mas com menor risco e burocracia. De todo modo, a análise da documentação e a prévia vistoria do imóvel são essenciais.