MERCADO IMOBILIÁRIO CORPORATIVO AINDA BUSCA RECUPERAÇÃO

10 de Fevereiro de 2018

O mercado imobiliário corporativo aprendeu nos últimos anos uma dura lição. Em um país como o Brasil, com ciclos econômicos bastante instáveis, otimismo demais pode ser um fator de risco. Com a forte alta do PIB entre 2010 e 2013, as incorporadoras bateram recordes de lançamentos; porém, a partir de 2014 a euforia deu lugar à crise e o mercado não foi capaz de absorver a produção.

CONTRA A CRISE, CRESCE O ALUGUEL DE QUARTOS

10 de Fevereiro de 2018

Seja para compor a renda doméstica afetada pela crise financeira ou para ter novas companhias, uma prática tem ganhado adeptos no País: o aluguel de quartos em apartamentos ou casas. Os preços dos imóveis e a escassez de opções nos locais mais procurados, explicam o fenômeno, comum nas grandes metrópoles mundiais. Nesses casos, os inquilinos têm alguém para dividir as despesas comuns, como condomínio, IPTU, tarifas de luz, água e telefonia.

TRIBUNAL RECONHECE ABUSIVIDADE EM LOCAÇÃO EM SHOPPING

3 de Fevereiro de 2018

A locação de espaços e lojas em shopping centers é considerada uma espécie de contrato atípico pelos tribunais, em consideração às particularidades deste tipo de pacto. Por conta disso, os locadores inserem cláusulas abusivas nos contratos de locação, entre elas a que equipara a alteração do controle societário da pessoa jurídica inquilina à cessão do contrato de locação. Ocorre que o TJSP já reconheceu que essa é uma cláusula injusta, argumentando que a locadora não pode se intrometer na relação societária da inquilina.

VELHA POLÊMICA: COMO FAZER O RATEIO DAS DESPESAS CONDOMINIAIS

3 de Fevereiro de 2018

Para regulamentar os direitos e deveres dos condôminos, o Código Civil fixou várias regras. Uma delas determina que é dever do condômino contribuir para as despesas do condomínio na proporção das suas frações ideais, “salvo disposição em contrário na convenção”. Ou seja, a regra geral diz que o rateio deve ser feito com base nas frações ideais das unidades, mas os condôminos podem estabelecer modalidade diferente, incluindo-a em convenção.

CEF ELEVA PARA 70% A TAXA DE CRÉDITO DE USADOS

3 de Fevereiro de 2018

Quebrando um jejum de quase um ano, a Caixa Econômica Federal voltou a oferecer a linha de crédito pró-cotista e ainda ampliou o percentual de financiamento de imóveis usados para 70%. As medidas já estão vigorando e irão favorecer todo o segmento imobiliário, aquecendo a economia já no início de 2018. Depois do programa Minha Casa, Minha Vida, essa é a linha de crédito mais barata.

CAIXA ESTUDA INCLUIR ELETRODOMÉSTICOS NO PMCMV

3 de Fevereiro de 2018

A Caixa Econômica Federal informou que está estudando, em parceria com o Ministério das Cidades, incluir nos imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida uma geladeira, um fogão e uma televisão. Para a CEF, é necessário que os mutuários tenham mais conforto dentro de casa. O Minha Casa, Minha Vida já entregou mais de 3,6 milhões de moradias em todo o Brasil.

QUAL A ATIVIDADE BÁSICA DE UMA IMOBILIÁRIA ?

3 de Fevereiro de 2018

As imobiliárias atuam na intermediação de vendas e locações de imóveis, bem como na administração de imóveis locados. Ou seja, atua como mediadora entre o comprador ou inquilino e o proprietário do imóvel. Isso significa que as imobiliárias não costumam se envolver com a construção de empreendimentos, nem tampouco alugar imóveis próprios.

PREÇO DE VENDA DOS IMÓVEIS PRONTOS CAIU 17% EM TRÊS ANOS

3 de Fevereiro de 2018

O preço de venda dos imóveis residenciais prontos caiu 17%, já descontada a inflação, durante os anos de crise — entre 2014 e 2017 —, segundo o Índice FipeZap, feito com base no mercado de 20 cidades. Descontado o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) estimado para o ano passado em 2,78%, a queda no valor dos imóveis foi de 3,23% de janeiro a dezembro.

USUCAPIÃO JÁ PODE SER REALIZADO EXTRAJUDICIALMENTE

28 de Janeiro de 2018

O novo Código de Processo Civil trouxe um grande avanço na regularização da posses, ao passar a admitir a usucapião cartorária, também denominada usucapião extrajudicial. Nessa modalidade há um rito próprio, que se inicia com a lavratura de ata notarial em tabelionato, na qual o tabelião atesta o tempo de posse do interessado (com base em documentos apresentados) e a situação de fato, e termina com o registro da propriedade no ofício imobiliário.

É NECESSÁRIO REGISTRAR A AQUISIÇÃO DE IMÓVEL EM MATRÍCULA

28 de Janeiro de 2018

Última etapa na realização do sonho da casa própria, registrar a compra na matrícula do imóvel, no Ofício Imobiliário competente, é de grande importância para assegurar o direito de propriedade. Muita gente acha que assinada a escritura, nada mais precisa ser feito – o que não é verdade. Mal comparando, é como alguém adquirir um carro e não registrar a compra no Detran. Vale aqui, pois, o velho brocardo jurídico que diz: “Quem não registra não é dono”.